Já considerou não ser o centro do mundo?

Abaixo, no discurso registrado em vídeo, David Foster Wallace fala sobre a nossa configuração padrão, onde todas as coisas são baseadas no nosso mundo e em nossas escolhas sobre o que resolvemos cultuar.

(obs.: ative as legendas em português se necessário)

“A única escolha que temos é o que cultuar.”

“Se você cultua dinheiro e posses, se eles são o que te faz atingir o verdadeiro sentido da vida, então você nunca sentirá que tem o suficiente. Cultue seu corpo, beleza e sensualidade e você sempre se sentirá feio e quando o tempo e a idade começarem a aparecer, você morrerá um milhão de vezes antes deles finalmente te enterrarem. Cultue poder, você vai acabar se sentindo fraco e com medo e sempre precisará de mais poder sobre os outros para anular seu próprio medo. Cultue seu intelecto, sendo visto como inteligente, você acabará se sentindo idiota, uma fraude, sempre á beira de ser descoberto.”

“O chamado “mundo real” não irá te desencorajar de operar nas suas configurações padrão, porque o chamado “mundo real” de homens e dinheiro e poder cantarola alegremente numa marcha de medo, raiva, frustração, desejo e adoração de si próprio.”

“Sobre a liberdade mais preciosa, vocês pouco ouvirão no grande mundo adulto movido a sucesso e exibicionismo. O tipo de liberdade realmente importante envolve atenção, consciência, disciplina e estar apto a se importar com as outras pessoas.”

Anúncios

Um comentário em “Já considerou não ser o centro do mundo?

Concorda, discorda, quer debater? Diga sua opinião.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s