Resumo: Sexo, Gênero, Sexualidade, Papel de Gênero e Relacionamento Íntimo

Sexo

Determinação biológica da função sexual na reprodução. Temos a mulher que é aquele indivíduo humano que possui o aparelho reprodutor feminino (cromossomo XX) que pode receber a fecundação embrionária, tendo como parte exterior a vulva e o homem que é aquele indivíduo humano que possui o aparelho reprodutor masculino (cromossomo XY) e pode fecundar a sua célula embrião, lembrando que por alguma falha os indivíduos podem ser estéreis. Há também em raríssimas ocasiões o indivíduo hermafrodita verdadeiro que possui os órgãos sexuais internos e externos de ambos os sexos (sendo geralmente geneticamente do sexo feminino, XX), porém são estéreis.

Gênero

Comportamento em relação ao sexo, a que sexo o indivíduo sente que pertence, a qual ele se identifica (partindo do seu gênero comportamental).

Pode-se afirmar o gênero ao qual biologicamente nasceu (cisgênero) ou negá-lo (transgênero), em casos raros pode-se fluir entre os dois (agênero).

obs.: Deve-se lembrar que há diversas síndromes/anomalias cromossômicas onde os indivíduos podem ser X0 (Síndrome de Turner), XXY, XXYY, XXXY, XXXYY, XXXXY (Síndrome de Klinefelter, XYY (Síndrome de Jacobs ou super macho)
XXX, XXXX (Super fêmeas), mulheres XY (síndrome da insensibilização androgênica), homens XX (distúrbio da diferenciação sexual testicular).

Sexualidade (Orientação Sexual)

A sexualidade relata qual gênero o indivíduo sente atração sexual.

Temos aí indivíduos que sentem atração pelo gênero oposto (heterossexual), pelo mesmo gênero (homosexual), por ambos (bissexual), por todos sexos e gêneros (pansexual) ou por nenhum (assexuado). Vale lembrar que todos somos seletivos sexualmente, sentimos atração por indivíduos específicos e não por pertencerem a uma determinada classe.

Papel de Gênero

São as ações socialmente construídas atribuídas por padrão a determinado gênero, o padrão social de comportamento de um gênero, por exemplo, homens jogam futebol e meninas dançam balé, homens devem usar azul e mulheres rosa, homens brincam de carrinho e mulheres de boneca, homens sustentam a casa e mulheres cuidam dela, etc.

Há a expressão de gênero que diz respeito aos maneirismos, forma de vestir, forma de apresentação, aspeto físico, gostos e atitudes do indivíduo. Geralmente é referido que uma pessoa tem uma expressão de gênero diferente da maioria quando quebra aquelas que são as expectativas ou regras de comportamento e aparência, num dado tempo e cultura, a partir do seu sexo biológico.¹

Relacionamento Íntimo

Em questão de relacionamento temos o monoamor (biologicamente falando monogamia) que é a aceitação de que o indivíduo deve ter apenas um relacionamento por vez e o poliamor (biologicamente falando poligamia) onde se pode ter mais de um relacionamento simultaneamente com o conhecimento e consentimento dos envolvidos. Há também as relações mono/poli onde um parceiro é monogâmico mas permite ao parceiro ter outras relações.


Texto Complementar

Nos referindo aos indivíduos humanos, que tem reprodução sexuada e portanto células reprodutoras provindas do macho e da fêmea para a geração de um novo indivíduo, podemos ficar confusos ao debater gênero ou sexualidade, já que vemos a função biológica como padrão e consequentemente como “natural”, sendo assim as instituições conservadoras, como grande parte das religiões ocidentais antigas, tendem a consensualmente reforçar as estruturas que consideram normais, por isso temos como regra social a não aceitação do que “foge” do padrão, das coisas não-normativas.

A homossexualidade ou a transgeneridade é não-normativa e por isto estes comportamentos sofrem preconceito, visto que a sociedade é bastante tradicional, assim temos muitos conservadores que afirmam que o gênero (gênero comportamental) deve ser igual ao sexo (gênero biológico), sem exceções, e em casos graves os intolerantes chegam a propor ações violentas contra os não-normativos. Por este motivo também que é piada entre os movimentos sociais dizer que o heterosexual sofre preconceito visto que é o padrão apoiado majoritariamente. Especificamente no Brasil vivemos a ideia padrão de hétero-cis-mono-normatividade, mas isto tem sido bastante debatido nos últimos anos.

Há ainda uma ideia reforçada baseada na natureza da perpetuação da espécie, assim é ensinado que temos que crescer e reproduzir, mas visto que nossa espécie já é dominante e não corre iminente de extinção (a não ser por ela mesma) ela deixa de ser necessária, portanto esse pensamento é reacionário e falacioso. Podemos concluir que mais do que nunca é uma escolha do indivíduo optar pela reprodução, sendo assim, a sexualidade está longe de interferir na natureza de reprodução humana e de colocar em risco a espécie.

As pessoas humanistas seculares tendem a acreditar que devemos ver o gênero de uma forma não binária onde dentro de uma escala onde o masculino está em um extremo e o feminino em outro extremo havendo grande diversidade entre eles, assim é sugerida a aceitação de todos os tipos que envolvem a sexualidade humana.


Índice

Sexo (ou Gênero Biológico)

  • Homem
  • Mulher
  • Hermafrodita

Gênero (ou Gênero Comportamental)

  • Cisgênero
  • Transgênero
  • Agênero

Sexualidade (ou Orientação Sexual)

  • Heterosexual
  • Homosexual
  • Bisexual
  • Pansexual
  • Assexuado

Papel de Gênero

  • Papel Social de Homem
  • Papel Social de Mulher

Relacionamento Íntimo

  • Monoamor
  • Poliamor
  • Mono/Poli

Fonte: [1] Glossário LGBT, REA

Anúncios

Um comentário em “Resumo: Sexo, Gênero, Sexualidade, Papel de Gênero e Relacionamento Íntimo

Concorda, discorda, quer debater? Diga sua opinião.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s