A ignorância desumanizadora

É normal estranhar o diferente a primeira vista, nos primeiros contatos, mas se ao invés de tentar combater tal incômodo alguém transforma isto em uma luta contra o outro, aí surge uma ideia separatista e um preconceito se torna uma batalha. Isto não é nada humanista, é irracional e lamentável

Não é intrinsecamente ofensivo para heterosexuais que homossexuais existam, é um dogma construído, um valor adquirido. Da mesmo forma não é intrinsecamente ofensivo para homossexuais que heterosexuais existam. O mesmo vale para raças, sexos, gêneros e até mesmo espécies.

As diferenças são lindas, as pessoas terem a liberdade de se confortarem a luz de uma crença ou não acreditarem em nada, terem seus rituais em suas formas peculiares, se vestirem diferente ou mesmo não se vestirem, as pessoas sentirem atração por quem querem e poderem difundir este amor sem medo, é belo, não há nada de errado nisso. As estéticas das diferentes culturas tem sua beleza – claro, isso não justifica a violação da liberdade individual que em alguma parte elas acabam fazendo – e negar tal beleza parece ser alguma espécie de baixa auto-estima, tal infelicidade, de ver o outro feliz, faz péssimos humanos.

Achar a si ou a um grupo do qual pertence melhor – e este melhor não estamos falando de mais hábil a realizar alguma tarefa, e sim no sentido de dar-se o direito de subjugar o outro – é uma espécie de autoritarismo. Acreditar na inferioridade moral de um ou de outro é de uma ignorância lamentável. Converter fatos subjetivos, estéticos, que não ferem a liberdade do outro indivíduo em valores morais que permitem a subjulgação é um absurdo. Querer combater a existência do outro pois ele é diferente de mim é autoritário e desumano. Aqueles que lutam contra os gays, contra os negros, contra as mulheres, que inferiorizam-os, são miseráveis intelectuais. Esquecem-se que são humanos também, desumanizam-os, em nome da ignorância.

Pessoas que não aceitam as diferenças, que criam e combatem inimigos imaginários, são incapazes de exercer o que as torna humanas, a razão. Esta ignorância desumanizadora sobrevive, sustentada por dogmas ou por desejos incontroláveis, e deve ser combatida, com educação e ética. Mas fica uma resolução é simples, aceite o outro como ele é, que doerá menos para ele e para si mesmo.

Anúncios

Concorda, discorda, quer debater? Diga sua opinião.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s